sábado, 11 de julho de 2009

A sombra do castanheiro

A Sombra do Castanheiro

.

O mau tempo foi-se embora

Da vertente aqui da serra

E o sol já brilha agora

Aquecendo a minha terra.

.

A velhinha cá da Beira

Com o tempo soalheiro

Já trocou sua fogueira

P’la sombra do castanheiro.

.

Como tudo já mudou

Neste oásis de beleza,

Onde o verde despontou

A dar vida à Natureza.

.

Seus pássaros predilectos

Vão cantando em sinfonia,

A dar coro aos seus bisnetos

Numa grande ‘‘gritaria’’

.

Como ela está contente

Aqui neste seu cantinho,

Desfrutando alegremente

Este sítio tão fresquinho.

.

Apesar da sua idade

Nunca perde a coragem

E recorda a mocidade

No quadro desta paisagem.

.

Oh velhinha, minha amiga

De coração verdadeiro,

Que Deus sempre te bendiga

À sombra do castanheiro .

Rama Lyon

.

4 comentários:

Eduardo Mesquita disse...

O nosso pais a natureza e as nossas gentes num poema bem estruturado , simples e escrito com muito sentimento.A realidadev assim descrita parece bem mais real.
Um abraco amigo
Eduardo

nanda disse...

já tinha saudades de sorrir ao som, cheiro, cor... que seus poemas transmitem

RAMA.LYON disse...

Ao Eduardo e à Nanda, os meus agradecimentos pelos vossos tão simpáticos comentários.
Um grande abraço com toda a minha amizade...cultivada neste meu jardim.

RAMA LYON

Multiolhares disse...

Belas árvores que nos abrigam do sol
que embelezam a terra
beijos