domingo, 19 de fevereiro de 2012

Carnaval, ponto...final

=

=

Carnaval, ponto…final

=

=

Ai Carnaval, Carnaval,

Nem te digo nem te conto,

Nosso “rei” de Portugal

Não te deixa fazer ponto.

=

Mas isso não te embaraça

De brincar bem animado,

Já que alguém sem ter graça

Anda sempre mascarado.

=

Não te deixes intimidar

Com a grande baralhada,

Vem pra rua, vem gozar,

Em Buarcos e Mealhada.

=

Por Torres Vedras também,

Em Loulé e mesmo Ovar,

Mostra lá que o povo tem

Maneiras de deslumbrar.

=

Tens o jeito de ser forte

P’ra alegrar a nossa gente,

Desde o sul até ao norte

Quero ver malta contente.

=

Traz a força, aos foliões,

Com ponto ou sem pontos,

Alegra-lhe os corações

Até eles ficarem tontos.

=

Haja ao menos alegria

E que ninguém leve a mal,

Nesta onda de folia,

Destes dias de Carnaval.

=

Rama Lyon

=

2 comentários:

Eduardo Mesquita disse...

A brincar se dizem as verdades.
Pelo menos que o povo nao perca o humor... gostei particularmente desse alguem que sem ter graca anda sempre mascarado.
Um abraco.

Fernanda Maria Rocha Mesquita disse...

Oh amigo eu so li este poema agora. O eduardo esqueceu-se de me dizer e eu como ainda nao estou muito bem, nao tenho vindo muito a net. oxala o povo possa sentir vontade de brincar, para nao sofrer tanto nesta situacao tao seria do pais. beijos amigos para os amigos Rama e Cidalia