sábado, 31 de janeiro de 2009

Sonhando à beira-mar

*

Sonhando à beira-mar

Estava eu à beira-mar,

Veio uma onda de poesia

Que me deixou a pensar,

Se era amor que eu sentia.

.

Por momentos, meio perdido,

Vi um anjo todo airoso

Que me disse ao ouvido;

Meu amigo, estás amoroso.

.

Meu peito ficou enleado

Minha cabeça irrequieta,

Nunca me tinha lembrado

Que tinha alma de poeta.

.

E nas vagas espumando

Ao sabor da maré-cheia,

Vi nas águas caminhando

Junto à costa uma sereia.

.

Foi então que eu senti

Meu coração perturbado

E depressa compreendi

Que já estava apaixonado.

.

Nada mais pude fazer

Nesse instante de magia

Que não fosse o escrever

Nas ondas da poesia.

.

Sete quadras imprimi

Pra mais tarde recordar

Esse sonho que eu vivi

Certo dia à beira-mar.

Rama Lyon

.

2 comentários:

nanda disse...

Reconheria um poema seu em qualquer lado... penso eu. É tão original, tão real e tão agradável... seus poemas são envolvidos de uma simplicidade poética muito boa.

nanda disse...

Voltei de novo... gosto deste poema. Porque não o publica no cantinho?